05 janeiro 2009

Carro duro, costela de vaca e hérnia de disco

Pict-451 Continuo em rítmo de recuperação, 12 horas de cama incluindo o sono noturno e o resto fazendo pequenas atividades sentado, andando, nada de muito agitado. Dr. Goveia acompanha e passa as recomendações por email seguindo um calendário rigoroso.

Mas estou com vontade de mudar de ares, de passar uns dias ao lado do Rio Jacuí e, para chegar lá, o grande obstáculo são os 7KM de estrada de chão, cheios de "costelas de vaca", buracos, pedras e muito barro resultado dessa chuvarada toda.

Agora, nesse estado delicado, me dou conta de como é dura nossa caminhonete Hilux 94 com esses feixes de mola na frente e atrás. É um carro muito forte, pau prá toda obra, bom de barro e de morro, mas, por ser assim tão dura, me acaba com os discos da coluna. E para chegar lá, pelo menos por enquanto, temos que pensar numa alternativa mais macia.

Gino, um colega do serviço, me disse certa vez que já viu um caso desses, onde a pessoa teve que trocar de carro por um bem mais macio só por causa dos problemas na coluna. Ouvi, registrei mas achei que talvez nunca fosse chegar nesse ponto. E parece que cheguei.

Antes da cirurgia, já com a hérnia bem deteriorada, 2 finais de semana nessa estrada de chão, me travaram na cama por vários dias. Só um tempo depois pude relacionar o ocorrido com os solavancos na Hilux. A cavalo não ando, mas o resultado na Hilux acaba sendo praticamente o mesmo. Preciso de uma Hilux nova.

Pict-450